menu
ALT + 1
conteúdo
ALT + 2
home
ALT + 3
pesquisar
ALT + 4

contraste

texto

Início do conteúdo

Agência de Notícias > notícia

Agência de Notícias

Crescimento da Frota de Veículos ameaça esgotamento do trânsito em Bento
03/12/2013 10:07

O tema "Mobilidade Urbana" é debatido diariamente em todo o Brasil, sendo o principal foco dos estudos de especialistas e autoridades, pois se apresenta como um dos principais problemas dessa década.  Em Bento Gonçalves, onde o crescimento da frota de veículos ocorre acima da média das principais cidades brasileiras, a questão é ainda mais desafiadora. A administração pública tem trabalhado na revisão das políticas públicas para contribuir com a superação do desafio da mobilidade urbana e, consequentemente, aumentar o bem-estar dos cidadãos que sofrem com a falta de mobilidade.


Com uma população de 111 mil habitantes e uma média de 73.519 Veículos cadastrados até 30 de Setembro de 2013, Bento apresenta uma densidade de 1,5 veículo por habitante. A estimativa da Secretaria de Gestão Integrada e Mobilidade Urbana é que já são mais de 75 mil veículos no Município. Em média a cada mês são registrados 300 veículos novos na cidade. Destes, cerca de 10,78% são motos e 62,24% são automóveis e 26,98% são caminhões, ônibus, camionetes e utilitários. Apenas em 2013, houve um acréscimo de 3,33% nos registros de veículos se comparado a 2012.

 

Com a aproximação do final de ano, a estimativa é que a frota de veículos em Bento Gonçalves cresça ainda mais. "É preciso considerar ainda o número de veículos emplacados em outros municípios com pessoas que moram e trabalham em Bento, além dos turistas que circulam pela cidade diariamente", alerta o Secretário de Gestão Integrada e Mobilidade Urbana, Mauro Moro. "São aproximadamente 80 mil veículos circulando por nossas vias", prevê. Para Moro, com o crescimento da frota, as ações de infraestrutura viária, além do incentivo a novos modelos de transporte e educação no trânsito são as alternativas mais viáveis a serem executadas no curto prazo.

 

Em certas horas do dia algumas ruas e avenidas consideradas polos geradores de tráfego, concentram o trânsito, ficando congestionadas. "Eliminar o estacionamento nessas artérias e nessas horas é fundamental", salienta. Ao longo do ano a Prefeitura por meio da Secretaria de Gestão Integrada e Mobilidade Urbana já promoveu algumas alterações em locais pontuais do trânsito, com adoção de mão única em algumas vias principalmente com o objetivo de aumentar a segurança de condutores e dos pedestres.

 

No entanto ações mais efetivas estão sendo planejadas e já encontram respaldo do prefeito Guilherme Pasin. Entre elas está a retirada de estacionamentos em algumas vias de grande fluxo de veículos e de ligação das regiões Norte e Sul da cidade. A primeira parte do plano, que visa dar prioridade ao transporte público coletivo para fomentar a cidadania e a inclusão social por meio da universalização do acesso aos serviços públicos de transporte coletivo, consiste na retirada de parte do estacionamento na Rua Barão do Rio Branco, no trecho entre o cruzamento com a rua General Gomes Carneiro e avenida Candido Costa. O plano prevê que o estacionamento do lado direito da via no sentido bairro-Centro seja substituído por um corredor de tráfego exclusivo para o transporte coletivo de passageiros por meio de ônibus e táxis.

 

A previsão é de que a medida entre em vigor até o final do ano. Na segunda parte das ações, está a retirada do estacionamento também da rua Saldanha Marinho e Júlio de Castilhos. Na Cidade Alta, a avenida Osvaldo Aranha e a rua Guilherme Fasolo também estão nos estudos, onde a intenção é proibir os estacionamentos nos horários de maior congestionamento e fluxo de veículos entre as 6h30min às 8h30min e entre às 17h30min às 19h30min.

 

Para Mauro Moro, implantar corredores exclusivos para ônibus é inevitável, pois hoje existe uma população média diária de 24 mil usuários do transporte coletivo, o equivalente a  18% e uma média mensal de 596 mil usuários. "Muitos chegam atrasados em seus compromissos pelo atraso no transporte coletivo", comenta. A retirada do estacionamento e a destinação do espaço para corredores de transporte coletivo de passageiros é uma alternativa que também já é adotada em vários municípios, pois exige baixos investimentos, é simples de executar e proporciona grande benefício para a população. "Vamos evitar que os ônibus compartilhem as pistas engarrafadas em horas de difícil deslocamento, trazendo uma vantagem real para os usuários em relação aos motoristas de automóveis", avalia o secretário Mauro Moro.  

 

 

Assessoria de Comunicação Social Prefeitura

Foto: Liane de Oliveira